As comunicações via rádio são talvez a descoberta mais marcante do século passado, a mola-mestra que impulsionou o desenvolvimento de inúmeras tecnologias hoje corriqueiras. Os radioamadores, mais que quaisquer outros grupos que labutam na área, têm uma relação fraternal e passional com as ondas hertzianas. Esta relação com a radiofrequência é o que tem nos movido desde que o primeiro experimentador começou a explorar aquelas estranhas e revolucionárias ondas, há mais de 100 anos.

Aqui no Brasil, o trabalho do religioso, cientista amador e inventor Roberto Landell de Moura é tido como pioneiro por muitos pesquisadores, ainda que seu nome permaneça relativamente desconhecido do grande público, lamentavelmente.

Eleito e declarado como o Patrono do Radioamadorismo Brasileiro desde o dia 25 de Setembro de 1981 pelo então Conselho Federal da LABRE, Pe. Landell, como é conhecido, permanece para nós como o verdadeiro inventor do rádio, a partir de suas experiências realizadas no final do século 19.

A primeira demonstração pública de seus inventos ocorreu no dia 3 de junho de 1900, tendo como testemunhas o cônsul britânico em São Paulo, Percy Charles Parmenter Lupton, mais autoridades brasileiras, empresários e populares, “as quais foram coroadas de brilhante êxito”, conforme noticiou o Jornal do Commercio. No ano seguinte, conseguiu a primeira patente de seu invento, rumando em seguida para os EUA, aonde passaria os quatro anos seguintes. Lá também registrou patentes de seus inventos.

Apesar das demonstrações feitas com sucesso, ao retornar ao Brasil ele não conseguiu sensibilizar as autoridades para reconhecerem suas descobertas, vítimas do obscurantismo e de falta de conhecimento do que estava sendo feito pelos cientistas em outros locais do mundo na recém descoberta área das telecomunicações sem fio.

Desiludido, o padre Landell de Moura abandonou suas pesquisas e dedicou-se somente à vida religiosa a partir daí. Ele faleceu no dia 30 de junho de 1928, vítima de tuberculose, em Porto Alegre, RS.

Nos anos seguintes ele permaneceu no anonimato. Porém, aos poucos, seu legado vem sendo redescoberto e sua história reconstruída e divulgada. Além dos radioamadores, que têm nele o seu Patrono, muitas pesquisas acadêmicas têm sido desenvolvidas em torno de sua vida e obra e livros têm sido publicados, o que tem contribuído para que o nobre padre-cientista seja cada vez mais conhecido em nosso país.

Neste dia 21 de Janeiro de 2021, a LABRE homenageia nosso Patrono pelos seus 160 anos. Embora sua presença física já nao esteja entre nós, sua vida e sobretudo o seu legado permanecem vivos em nossa memória.

Viva, Padre Roberto Landell de Moura!

Apresentamos em seguida um documentário produzido pela TV Senado há alguns anos denominado “Padre Landell, Fé na Ciência”, de conteúdo inestimável:

Para maiores informações, consulte os sites sugeridos abaixo:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Roberto_Landell_de_Moura
http://eusoufamecos.uni5.net/vozesdoradio/perfil-por-guilherme-landell-de-moura/
https://diariodocomercio.com.br/economia/landell-antecedeu-marconi/
https://gauchazh.clicrbs.com.br/comportamento/noticia/2021/01/landell-de-moura-os-160-anos-do-padre-cientista-gaucho-que-inventou-o-radio-ckjvkjeiw000g017wmk7ui9y3.html
https://agencia.fapesp.br/quem-inventou-o-radio/5636/
http://ps7dx.qsl.br/pe-landell-nosso-patrono/