Por João Saad, PY1DPU

No último dia 26, a LABRE enviou o Ofício 051/2021 ao INMETRO confirmando a sua continuidade na participação da Comissão Técnica de revisão dos critérios para o Programa de Avaliação da Conformidade para Sistemas Fotovoltaicos, objeto da Portaria INMETRO 004/2011. A LABRE é representada nesta Comissão Técnica pelos radioamadores João Saad Jr. PY1DPU (Titular) e Flávio Archângelo PY2ZX (Suplente). Após a elaboração de uma minuta da nova Portaria, os trabalhos da Comissão ficaram parados por dois anos devido a alterações internas no INMETRO, sendo retomados neste ano.

A participação da LABRE fundamenta-se na proposição e defesa da inclusão de normas internacionais de Compatibilidade Eletromagnética (EMC) para os Sistemas Fotovoltaicos, de forma que estes sistemas não gerem interferências nos sistemas eletrônicos que permeiam a sociedade, notadamente as telecomunicações. Modernamente, a sociedade depende de forma intensa e irreversível destes serviços, além de outros como os sistemas informáticos, a “Internet das Coisas” (IoT), sistemas de suporte à vida como os equipamentos eletromédicos, os sistemas marítimos e aeronáuticos. Também é forte candidato a ser interferido o “Smartgrid”, denominação das modernas redes elétricas automatizadas através do uso de eletrônica embutida, do qual o próprio setor de energia elétrica, principal interessado na geração fotovoltaica, tende a utilizar.

Em vista desta realidade, a LABRE tem dito ao INMETRO, à ANATEL e à sociedade em geral que os Radioamadores são os “Sentinelas do Espectro de Radiofrequências”, portanto das telecomunicações, pela sua atividade intrínseca de uso e pesquisa deste bem comum, que são as telecomunicações por ondas de rádio. Os radioamadores “veem” as interferências nas telecomunicações em seus equipamentos, e a LABRE têm alertado para o grande risco que representa o descolamento do Brasil do primeiro mundo no que tange às exigências de atendimento das normas internacionais de EMC, podendo levar o país a um estado de poluição eletromagnética com graves consequências para a segurança operacional dos sistemas eletrônicos acima citados.

O trabalho do GDE no INMETRO, assim como na ANATEL é, sem dúvida alguma, um trabalho que transcende o interesse direto do radioamadorismo, beneficiando toda a sociedade brasileira. Demonstra, também, que a LABRE tem radioamadores qualificados tecnicamente para este tipo de trabalho, elevando a imagem do radioamadorismo brasileiro perante os órgãos governamentais.